MINISTRO DO TURISMO SERÁ PATRONO DA 80ª FESTA DAS FLORES DE JOINVILLE

Festa representa forte estímulo ao fluxo turístico regional. De 13 a 18 de novembro, evento levará mais de 100 mil visitantes à cidade

 Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, é recebido pelo prefeito de Joinville (SC), Udo Döhler. Foto: Jaksson Zanco/Prefeitura de Joinville

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, recebeu oficialmente do prefeito de Joinville (SC), Udo Döhler, o convite para ser o patrono da 80ª edição da Festa das Flores. O evento acontece de 13 a 18 de novembro e reúne cerca de 100 mil visitantes.

Lummertz afirmou que é uma honra estar à frente de um evento com 80 anos de história. “A festa é um momento emblemático para Joinville, pois tem a tradição de ser realizada desde 1936 e, ao mesmo tempo, incorpora novidades anualmente, com uma programação que aproxima diversos públicos. É esse perfil que transforma o evento em um grande gerador de renda, turismo e negócios para a região”, ressaltou.

O público do evento – reconhecido como Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Santa Catarina – é formado por famílias, empreendedores do segmento, clientes da feira multissetorial, apaixonados por flores, paisagistas, profissionais e estudiosos da área, além de interessados em oficinas de cultivo, concurso de jardins e mercado de plantas. Entretenimento e gastronomia também têm forte apelo na programação da festa, que é realizada pela Agremiação Joinvilense de Amadores de Orquídeas (AJAO) em parceria com a prefeitura no Complexo Expoville.

NOVA MARCA TURÍSTICA – No fim da tarde, o ministro e o prefeito também se reuniram com a diretoria da Associação Empresarial do município para tratar de estratégias de posicionamento de marca e promoção da cidade como destino de lazer.

A criação de uma marca turística para Joinville foi abordada pelo consultor de marketing Ricardo Sapiro, que apresentou diretrizes e um possível caminho para se discutir estratégias de branding para a cidade. Ele afirmou que o destino tem importantes referências para reposicionar a marca da antiga “cidade das flores” como a “cidade da cultura e da dança”.

“A origem alemã, com o empreendedorismo industrial, a austeridade e gastronomia preparada para o turista; o fato de ser um polo industrial, que reúne atributos de pioneirismo e inovação em ampla gama de empresas e setores, se consolidando como importante contribuinte da economia de SC; e a urbanidade acolhedora, que a credencia para ser uma cidade das flores, das bicicletas e patins, dando essa ideia de mobilidade e agradável convivência coletiva”, resumiu o consultor.

Ele também falou do potencial cultural vibrante de Joinville, internacionalmente reconhecida por sediar a única escola Bolshoi fora da Rússia e o festival de dança que já é o maior da América Latina.

Na ocasião, o coordenador-geral de Planejamento do Turismo do MTur, Eduardo Madeira, também apresentou aos empresários locais o programa Prodetur+Turismo, linha de crédito que já conta com R$ 3 bilhões em análise. Trinta e um projetos são de Santa Catarina.

 Consultor Ricardo Sapiro apresenta diretrizes para a criação da nova marca turísitica de Joinville. Foto: Jaksson Zanco/Prefeitura de Joinville