COM MUNICÍPIOS, MINISTÉRIO DO TURISMO DEBATE GESTÃO INTEGRADA PARA ALAVANCAR O SETOR

Representantes do MTur apresentaram ações para posicionar o turismo como locomotiva da economia brasileira

Foto: CNM

Com o objetivo de promover as boas práticas de governança dos municípios turísticos brasileiros e a implementação da atividade turística como fonte de receita e geração de emprego, começou nesta quinta-feira (11), em Capitólio (MG), o I Seminário Nacional de Governança para o Turismo. O evento vai até sábado (13) e conta com a presença de representantes do Ministério do Turismo, além de mais de 700 gestores municipais, empreendedores do trade turístico brasileiro, especialistas e parlamentares.

Na abertura do encontro, o secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, Bob Santos, falou sobre o potencial do turismo brasileiro e como tornar o país um destino mais competitivo no mercado mundial. Infraestrutura, abertura internacional do mercado, segurança, melhoria do ambiente de negócios e o setor como prioridade na agenda estratégia do país são alguns dos principais pilares para transformar o setor de Viagens no Brasil.

O secretário apresentou ainda as políticas públicas, resultados e metas estratégicas do Ministério do Turismo. “No Brasil, precisamos repensar o turismo de forma mais atual, que nos aproxime da realidade e nos permita definir uma estratégia que dure pelos próximos 15 ou 20 anos. Além disso, temos todos os elementos necessários para um turismo da pós modernidade, onde público e privado caminham de mãos dadas, fortalecendo o setor como mola propulsora da agenda econômica”, ressaltou Bob Santos.

Ainda nesta quinta-feira (11), o secretário do MTur participa também da mesa de debates sobe governança em políticas públicas para o turismo, ao lado do presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, deputado federal Herculano Passos (MDB-SP), e representantes da secretaria de Turismo de Minas Gerais e da Clia Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos).

Também presentes no seminário, os coordenadores de Mapeamento e Gestão Territorial do Turismo e de Produtos Turísticos do Ministério, Ana Carla Fernandes e Cristiano Borges, abordarão temas sobre o financiamento e captação de investimentos para o setor, bem como estratégias inovadoras para promoção e comercialização de produtos e serviços turísticos.

Promovido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), em parceria com a Associação Mineira de Municípios (AMM), a prefeitura de Capitólio e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o evento conta também com a Feira de Negócios Turísticos Destinos do Brasil – Edição Minas Gerais, onde produtos turísticos gastronômicos – queijo canastra, cachaça e pratos com peixes de pesca – são expostos, além de apresentações culturais do estado.

As contribuições dos participantes apresentadas nas palestras irão fazer parte de uma Carta que vai reunir reivindicações municipalistas. Esse documento será entregue às autoridades competentes. Para o presidente da CNM, Glademir Aroldi, o turismo representa um dos principais condutores de desenvolvimento sustentável de uma cidade, com o potencial de alavancar receitas e diminuir as dificuldades enfrentadas pela gestão municipal. “Dos mais de cinco mil municípios filiados à CNM em todos os estados, 2.960 são participantes do Mapa do Turismo Brasileiro, sendo 328 regiões turísticas. Minas Gerais possui 555 cidades com vocação turística. Por isso, a força dessa representação e da governança para o Turismo serão intensificadas em Capitólio”, destaca o presidente.

TURISMO EM MINAS GERAIS

Desde 2003, ano de criação da Pasta, o Ministério do Turismo investiu mais de R$ 500 milhões em obras de infraestrutura turística em Minas Gerais. No total, são 1841 obras, sendo que 1.557 já foram concluídas. O estado também conquistou, junto ao MTur, aprovação do Selo + Turismo para nove municípios e três projetos da iniciativa privada. Com a certificação do MTur, as propostas ganham prioridade na tramitação de financiamentos junto aos bancos de desenvolvimento, contemplando projetos para melhorar a infraestrutura turística da região.

De acordo com os últimos estudos divulgados pelo Ministério, o Anuário Estatístico e a Demanda Turística Internacional, mais de 81 mil turistas estrangeiros visitaram o Estado de Minas Gerais em 2018. O número é 45% maior que em 2017. As pesquisas registraram ainda que 95% desses visitantes internacionais têm a intenção de retornar à região. Segundo o governo do estado, entre os anos de 2015 e 2018, o aumento do fluxo turístico em Minas Gerais chegou a 14%. Nesse mesmo período, a receita turística teve ganho de 6%. Em 2018, ela foi de R$ 18,2 bilhões.

Atualmente, o turismo representa 12% de todas as atividades econômicas de Minas Gerais e a gastronomia é um dos pontos fortes para alavancar o setor de Viagens no estado, trazer emprego e renda e desenvolvimento regional. Com 96% de aprovação dos turistas que visitam Minas Gerais, a gastronomia só perde para a hospitalidade do brasileiro, índice de 98,1% de aprovação entre os serviços pesquisados. Além disso, a capital Belo Horizonte disputa, neste ano, o título no segmento de Gastronomia na Rede de Cidades Criativas da Unesco.

Por: Cecilia Melo, Edição: Vanessa Sampaio – MTUR